Cia de Talentos

Cia de Talentos na Imprensa

Filtre por: ImprensaArtigos Videos Vídeos Áudio Áudios

Porta aberta para a ascensão profissional

Os programas de trainee são um carimbo de confiança que as empresas conferem ao jovem talento, oferecendo um programa de capacitação com a promessa de desenvolvimento e rápida ascensão profissional. Não se trata de uma porta fácil de abrir, mas proporciona boas recompensas para quem está começando a vida com a meta de ascender profissionalmente .

“O trainee tem um plano de desenvolvimento. Já o profissional efetivo é contratado para assumir o papel de seu cargo e mostrar sua experiência”, diz Lúcia Félix, gerente sênior de desenvolvimento de RH da Lojas Renner.

Quando apostam em uma pessoa, as organizações já têm um objetivo delineado: colocá-la em cargos de gestão e liderança. O jovem vai começar seu programa com salários de R$ 3 mil a R$ 5 mil, em média, e especial atenção da diretoria, que valoriza a meritocracia.

“Quando você começa como trainee, terá um planejamento de carreira mais acelerado, maior exposição na empresa e networking com gerentes de diferentes áreas. Os projetos são estratégicos, e a expectativa e sua visibilidade, grandes” ressalta Luís Abdalla, CEO da Seja Trainee.

Ao longo do programa, os candidatos recebem ensinamentos técnicos e comportamentais, além de terem possibilidade de carreira internacional. O trainee pode atingir um cargo de gerência em prazo de três a cinco anos, enquanto um analista que iniciou em uma vaga efetiva pode levar de quatro a sete anos.

As organizações aprimoram seus sistemas para escolher pessoas alinhadas a seu perfil.

“Os processos de seleção têm sido cada vez mais ágeis, para dar ao candidato a oportunidade de conhecer a empresa e à empresa de conhecê-lo”, explica Paula Esteves, diretora da Cia de Talentos, que desenvolve testes online para avaliar as competências e a aderência dos jovens aos valores da empresa e procura dar um retorno ao candidato sobre como foi seu desempenho no processo, para que ele reflita e adquira conhecimento para seu próprio desenvolvimento e mesmo sobre o negócio e o mercado.

Na Braskem, por exemplo, o processo de captação de talentos foi reformulado. “Chegamos à conclusão de que é fundamental valorizar a entrada dos jovens em início de carreira, garantindo a chance de continuar no programa, como profissional recém-formado, já consciente da cultura da empresa”, afirma Camila Dantas, diretora de desenvolvimento de pessoas.

Em 2013, o antigo programa de trainee e passou a se chamar Jovem Parceiro Recém-Formado, permitindo acesso único para estagiários que já atuam na corporação. A estratégia é reforçar o compromisso do estudante, além de oferecer a oportunidade de efetivação como recém-formado. Na prática, o jovem terá menor competição, se comparado com a disputa do mercado. Na Braskem, a média não ultrapassa seis candidatos por vaga.

Fonte: Zero Hora (Porto Alegre/RS)