Cia de Talentos

Cia de Talentos na Imprensa

Filtre por: ImprensaArtigos Videos Vídeos Áudio Áudios

A diferença se faz com preparação e atitude

Ter bom desempenho e sólida formação acadêmica são elementares para quem pretende dar passos maiores na carreira. Mas só boas notas não bastam. O universitário precisa se engajar em atividades em grupo, aprender a trabalhar em equipe, se possível fazer intercâmbio e estar afiado, no mínimo, em inglês.

Quanto mais vivências o jovem acumular em seu currículo, melhor será sua capacidade de análise para situações do dia a dia no meio corporativo. Também é imprescindível estar conectado com o noticiário, saber o que está acontecendo no mundo e, especialmente, ter boas noções sobre o segmento e a empresa em que deseja trabalhar.

Experiências profissionais anteriores não têm grande peso nas avaliações das empresas. São um diferencial, mas não determinam a escolha do candidato. A diretora de RH da EY, Elisa Carra, diz que a experiência vai ser adquirida no programa de trainee, em que o recém-formado receberá treinamento e aplicará os conhecimentos, sob o olhar e orientação dos gestores, para transformar conceitos em real aprendizado. “Quero muito mais encontrar no candidato características de uma pessoa íntegra, que respeite as pessoas, que trabalhe em equipe, que queira ser líder no futuro, que tenha energia e entusiasmo”, detalha.

As vivências no período da universidade e antes dela permitirão ao jovem conhecer e enfrentar realidades diferentes. Um bom começo pode ser participar do centro acadêmico e se integrar à empresa júnior. “Ter um repertório mais amplo com outras atividades vai ajudar a melhorar a sua capacidade de análise e ampliar seus conhecimentos, preparando-o para entrar na empresa”, reforça Paula Esteves, da Cia de Talentos.

A gerente de desenvolvimento de RH da Renner, Lúcia Félix, ressalta que o ambiente universitário proporciona contatos com professores, networking com pessoas da área de interesse e novidades sobre congressos e palestras. “Os jovens precisam aproveitar o que as universidades oferecem. É indicado que façam atividades que unam o aprendizado, o crescimento e o prazer, ou seja, que possam agregar tanto pessoal quanto profissionalmente” diz Lúcia.

Além de estar atualizado com as notícias mundiais, são recomendadas leituras sobre gestão, liderança e economia. Também é positivo acompanhar feiras de carreira em universidades com boas oportunidades de palestras presenciais e workshops promovidos pelas consultorias de recursos humanos.

Fonte: Zero Hora (Porto Alegre/RS)