Cia de Talentos

Cia de Talentos na Imprensa

Filtre por: ImprensaArtigos Videos Vídeos Áudio Áudios

Consultores orientam o que observar ao escolher programas de estágios e trainees
Carreira que o candidato pode construir nas organizações e o alinhamento entre os valores do estudante e os da empresa são destaques

No meio do ano, muitas empresas abrem vagas para seus programas de estágio e trainee. Muitas delas oferecem benefícios atraentes, que podem confundir o candidato na hora de decidir pelo processo seletivo mais adequado ao seu perfil. O consultor de carreira Maurício Sampaio; a gerente da Cia de Talentos Milie Haji e o superintendente educacional do CIEE, Eduardo de Oliveira destacam alguns pontos que devem ser levados em consideração nessa escolha.

Plano de carreira

Eduardo de Oliveira coloca o aprendizado e a construção da carreira em primeiro lugar na hora de escolher uma vaga. Saber até onde o candidato pode chegar dentro da empresa também é um dos fatores destacados por Maurício Sampaio. “A empresa deve deixar isso claro”. Para Milie Haji, os candidatos devem saber o que estão buscando e se a empresa realmente investe no programa de desenvolvimento e treinamento. “É importante ter essas informações para alinhar as expectativas. Os estágios e trainees aceleram a carreira, mas não necessariamente vão formar líderes, por exemplo”, explica.

Valores da empresa alinhados com os do candidato

Unanimidade entre os consultores, os valores e a cultura da empresa abrangem questões como sustentabilidade, qualidade de vida, clima organizacional, flexibilidade de horários e interlocução entre líderes e liderados . “O candidato deve procurar saber quais são os valores da empresa e se eles são, realmente, colocados em prática. Quando os valores estão alinhados, o profissional se sente mais motivado”, explica Maurício Sampaio. Para Haji, “quando a empresa mostra que é possível inovar no ambiente corporativo, os candidatos se sentem mais atraídos”.

Networking

Conversar com alguém que trabalhe ou tenha feito o processo seletivo para a empresa desejada ajuda a conhecer melhor a instituição e as dificuldades do processo. “Com as redes sociais, essa possibilidade é maior”, lembra Sampaio. Milie Haji, contudo, diz que abordar profissionais dessas empresas nas redes sociais não é uma prática comum. Ela recomenda buscar contatos na universidade e entre a família e os amigos. “Também há muita informação disponível na internet, como sites que dão pontos às empresas”, acrescenta ela.

Tempo do processo seletivo e do programa de estágio/trainee

Alguns processos seletivos são muito longos, com muitas etapas, e o candidato deve estar emocionalmente preparado para enfrentá-lo. Há seleções que podem durar até seis meses, gerando ansiedade entre os candidatos. Segundo Milie Haji, as empresas vêm sendo orientadas a fazer processos mais curtos e rápidos, com duas etapas em um único dia, o que faz o candidato se sentir mais valorizado. Quanto ao tempo do programa de estágio ou trainee, ele pode variar entre 10 meses e três anos, dependendo do resultado pretendido pela companhia. “Para a formação de gestores ou líderes de pessoas, os programas chegam até 36 meses”, explica ela.

Tradição da organização

Para Maurício Sampaio, esse ponto deve ser observado já que muitas empresas “aparecem e desaparecem muito rapidamente”. Eduardo de Oliveira lembra, no entanto, que o candidato não deve buscar apenas grandes empresas para trabalhar. “Micro e pequenas empresas são as que mais empregam e podem oferecer grandes oportunidades”.

Adequação da formação universitária

Nem sempre a vaga que o candidato deseja é coerente com a sua formação universitária. “O candidato deve observar esse ponto para refletir se o que ele escolheu como carreira é o que ele gosta”, orienta Eduardo de Oliveira.

 

Fonte: Brasil Econômico

Data: 03/07/14