O que o futuro reserva à área de recursos humanos?


03/06/2018
Por Grupo Cia de Talentos

No último domingo (03 de junho), foi comemorado o Dia do Profissional de Recursos Humanos e, por motivos óbvios, não podíamos deixar essa data passar em branco. Então, primeiro de tudo: parabéns para você que, diariamente, busca desenvolver as potencialidades dos talentos da organização em que trabalha.

Se pararmos para pensar, aliás, há muito o que se comemorar, afinal, o profissional de RH saiu da sombra do departamento pessoal e abriu um caminho importante para as corporações, que é o de gerir pessoas. Sabemos que não foi uma trajetória fácil, mas de grande valia para todos os envolvidos.

Cada vez mais o profissional de RH está inserido na gestão estratégica das empresas em que atuam. É dele a responsabilidade de criar ações e treinamentos que estejam alinhados com as metas do negócio. E mais: foi se o tempo que bastava pegar um currículo na mão, avaliar as experiências dos candidatos, analisar seu perfil e contratar. Agora, mais do que nunca, é preciso identificar talentos alinhados com a cultura da corporação, para que possam produzir e entregar resultados significativos.

No entanto, vivemos hoje em um mundo volátil, incerto, ambíguo, que muda o tempo inteiro, que se transforma cotidianamente, em uma velocidade muito atroz. Sendo assim, se o profissional de recursos humanos não tiver clareza sobre aquilo que busca, então, certamente, ele não conseguirá levar a organização em que está inserido para o melhor lugar do futuro do trabalho. E o grande desafio está justamente aí: nesse mundo VUCA, prever como será esse futuro não é possível.

Dito isso, chegamos a seguinte pergunta: o que o futuro reserva à área de Recursos Humanos e seus profissionais? Não tenho uma resposta certa para te dar, mas acredito que o maior desafio está (e estará) em promover a integração entre a cultura e valores da empresa com aquilo que os profissionais estão buscando. A saída para essa equação passa pela clareza em relação a quem somos e como conectar e comunicar isso para as pessoas que trabalham com a gente, além de saber atrelar tudo isso à demanda que o mercado e o futuro vão exigir de todos nós. Portanto, coerência, clareza de quem nós somos e para onde estamos indo é fundamental para transformar, mais um pouco, os rumos da gestão de pessoas.

Parabéns a você, profissional de RH, que nos ajuda a desbravar esse caminho, de forma tão intensa e transformadora.

Luciana Fuoco é jornalista, assessora de imprensa do Grupo Cia de Talentos, mãe da Sofia e do Pedro (que chega logo mais). Casou aos 22 anos porque quis e trocou São Paulo pelo litoral. Não vai à praia quase nunca, mas vê o mar todos os dias no lugar do trânsito. Descobriu na maternidade sua melhor versão. Aprendeu a equilibrar diversos pratos sem quebrar nenhum e segue feliz entre textos e – logo mais – novas fraldas.