5 mitos sobre entrevistas de emprego


18/09/2019
Por Cia de Talentos

Em uma entrevista de emprego, a última coisa que a gente quer é cometer um erro, não é mesmo? E acredite: o principal erro que os candidatos comentem não é na entrevista e sim antes dela - eles não se preparam. Existem também vários erros que são bastante comuns durante a entrevista e muita coisa que não passa de mito. 

Por isso, decidimos conversar com duas consultoras de carreira da CT que são feras no assunto, a Cláudia Pereira e a Franciele Bianchini, e elas deram muitas dicas que valem ouro quando você precisa mandar bem na entrevista.

Antes da entrevista

Primeiro de tudo: Assim que for chamado para uma entrevista, estude bem a empresa e a vaga. Em seguida, foque em identificar o que você não pode deixar de falar sobre as suas experiências e as dúvidas que você tem sobre a posição. A entrevista é um momento das duas partes se conhecerem. “Se prepare pensando em exemplos e vivências legais, o que você considera importante contar sobre você e se prepare para contá-las. Pense em situações e exemplos práticos que você viveu e que te conectam com a vaga e com a empresa”, ensinam as consultoras.

Vale ensaiar em casa com algum amigo ou alguém da família para se certificar que você está passando a mensagem da melhor maneira e tome cuidado para não cometer “sincericídio” e acabar se denegrindo. Fale a verdade sempre, mas evite se detonar.

Mitos sobre entrevista de emprego

1. Respostas curtas são melhores


Óbvio que enrolação nunca é bom e ninguém gosta. Mas as respostas não precisam ser necessariamente curtas, isso é um mito. É importante falar sobre suas experiências/vivências de forma mais aprofundada do que está no currículo, mas controle o tempo.

“Tenha cuidado e fique atento em relação ao tempo versus conteúdo, você deve falar o essencial e aquilo que é coerente com a pergunta. O grande desafio é poder organizar sua fala no tempo da entrevista”

2. As perguntas têm respostas certas

Outro mito! Não existe um gabarito com as respostas certas, mas é importante que a sua resposta seja completa e sempre tenha exemplos: de competências que você acredita que tem, experiências, vivências e de situações em que você atuou. “É muito importante dizer o que você agregou na resolução do problema ou no trabalho em grupo”, enfatizam Franciele e Cláudia.

3. Falar gírias é errado

Não é errado, nem certo.  Depende muito do estilo da empresa. Se for um ambiente mais tradicional e formal, pode não cair bem. Mas se for uma empresa descontraída e arrojada, não deve ser um problema.

A dica das consultoras é fazer uma reflexão. “Do mesmo jeito que a empresa tem o seu estilo, você também tem o seu! Quanto mais aderentes esses estilos, mais legal para você a oportunidade! Ajustes e adaptações podem ser bem-vindos! Como você encara isso? Se tudo bem, então é hora de desenvolver a sua adaptabilidade! Se não for tudo bem, fica no seu estilo e encontre uma empresa que seja mais a sua cara!!”

4. Não devo fazer perguntas

A entrevista tem duas finalidades. Uma é ajudar a empresa/recrutador a avaliar se o seu perfil tem a ver com o perfil da vaga, a outra é proporcionar a você como candidato entender se a posição e empresa fazem sentido para os seus objetivos. Então, caso você tenha dúvidas, faça perguntas, mas fique atento pra que sejam coerentes.

5. Proibido falar do emprego anterior
 
Não tem problema falar de onde você está trabalhando ou já trabalhou, você pode contar inclusive se houve alguma situação que não foi boa, falar de algo que te incomodou, mas jamais cite nomes e fatos para não expor nada nem ninguém. Não transforme a sua opinião em um muro de lamentações. “Se você tiver muitos incômodos em todas as empresas que trabalhou, cuidado sobre como vai se posicionar”, recordam as consultoras.